As demonstrações contábeis são um conjunto de relatórios, elaborados pela contabilidade da empresa, que visam apresentar a situação financeira e patrimonial do negócio em determinado momento.

Por meio dessa peça contábil, os gestores, fornecedores, bancos e o governo têm a real noção sobre as contas e as movimentações realizadas em um período.

Além de serem uma obrigação legal, as demonstrações contábeis são uma importante ferramenta de gestão que podem ser utilizadas para diversas finalidades, como a tomada de decisões gerenciais importantes para a companhia.

Devido à grande importância que as demonstrações contábeis têm para as empresas, escrevemos este post para detalhar algumas questões pontuais sobre elas, as quais você, enquanto gestor, deve ficar atento. Confira:

As demonstrações contábeis e a sua importância para a empresa

As demonstrações contábeis são um conjunto de documentos e relatórios que revelam a situação financeira e patrimonial da empresa em um exercício social, ou seja, um ano-calendário.

Elas são o produto de todo o trabalho da contabilidade de uma empresa. Mensalmente, são enviados a esse setor toda a movimentação financeira, contas a pagar e a receber, faturas emitidas, compras realizadas, empréstimos e tudo o que modifica a sua situação patrimonial e financeira.

De posse desses documentos, a contabilidade realiza os lançamentos contábeis informando cada um desses fatos de modo padronizado com o objetivo de gerar os demonstrativos obrigatórios.

Nas demonstrações contábeis de uma empresa, deve constar:

  • Balanço Patrimonial;

  • Demonstração de Resultados;

  • Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados (DLPA) ou Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido (DMPL);

  • Demonstração do Fluxo de Caixa (DFC);

  • Demonstração do Valor Adicionado (DVA) se for exigido;

  • Notas Explicativas.

A lei № 6.404/1976 determina como devem ser apresentadas cada uma das demonstrações supramencionadas. Além do dispositivo legal mencionado, a ITG 1000 estabelece as normas para apresentação das demonstrações contábeis das Microempresas (ME) e Empresas de Pequeno Porte (EPP).

Além dessas, temos a ITG 2000 que indica quais os tipos de demonstrações contábeis que devem ser elaboradas pelas empresas sem fins lucrativos.

As demonstrações contábeis

O Balanço Patrimonial

Trata-se de uma demonstração contábil que visa apresentar os dados gerais de uma empresa em determinado período. Nela constam os saldos de todas as contas.

O Balanço Patrimonial é dividido em 3 grandes grupos:

  • o ativo, que são todos os bens e direitos de uma empresa, ou seja, tudo o que ela possui, como, dinheiro em espécie, saldo bancário, aplicações, estoques, clientes a receber e bens imobilizados (terrenos, carros, equipamentos etc.);

  • o passivo, em que são registradas todas as despesas que a empresa possui com terceiros e com os sócios. Podemos citar como exemplos de contas do passivo: fornecedores a pagar, empréstimos e financiamentos em andamento.

  • e o patrimônio líquido, em que estão registrados o capital social, reservas e os lucros e prejuízos acumulados ao longo dos períodos.

A Demonstração de Resultados

Também denominada de Demonstração de Resultados do Exercício (DRE), essa demonstração mostra basicamente o lucro ou o prejuízo apurado em um exercício social.

Ela se inicia apresentando todas as receitas auferidas no ano e, em seguida, as despesas e os custos que existiram no mesmo período.

A diferença entre essas contas deverá ser o resultado, positivo ou negativo, que será apurado ao término do exercício, sendo esse valor utilizado para informar na ECD e EFD-ECF, que substituíram a declaração do Imposto de Renda da empresa.

Atualmente, é realizada no ambiente do Sistema Público de Escrituração Digital (Sped) por meio da Escrituração Contábil Fiscal (ECF) se a empresa for tributada pelo lucro real ou presumido.

A Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados (DLPA)

A Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados (DLPA) é um documento que apresenta as movimentações que aumentaram ou diminuíram os valores constantes da conta do patrimônio líquido.

No entanto, a lei permite que as empresas substituam esse informativo por uma única demonstração chamada de Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido (DMPL).

Por ser um demonstrativo mais completo e abrangente, muitas empresas optam por informar somente ela, uma vez que as informações constantes na DMPL atendem todas as exigências da legislação, referente às movimentações do patrimônio líquido.

A Demonstração do Fluxo de Caixa (DFC)

A DFC trata, basicamente, dos movimentos de entrada e de saída de recursos nas contas de caixa de um negócio e, assim como as demais demonstrações citadas, deve constar nas demonstrações contábeis de uma empresa.

Ela é segmentada em 3 grandes áreas:

  • atividades operacionais: valores em caixa que foram gastos na prestação de serviços ou venda de mercadorias realizadas pela empresa;

  • atividades de investimentos: recursos destinados à aquisição de bens imobilizados;

  • atividades de financiamentos: recursos utilizados para o pagamento de empréstimos, financiamentos e dívidas com os sócios.

A Demonstração de Valor Adicionado (DVA)

A DVA é uma demonstração voltada exclusivamente para empresas de capital aberto, as famosas sociedades anônimas (SA).

Ela visa demonstrar a riqueza gerada nas suas operações de venda de mercadorias, de prestação de serviços ou de produção e industrialização de bens ou de insumos.

As Notas Explicativas

As notas explicativas são inseridas nas demonstrações contábeis de uma empresa com o objetivo de informar diversas questões pontuais existentes em alguns dos documentos que compõem essa obrigação.

Elas podem fazer referência a qualquer item das demonstrações, no entanto, podemos mencionar como principais as notas explicativas das contas de:

  • caixa;
  • bancos;
  • aplicações financeiras;
  • empréstimos e financiamentos;
  • distribuição do capital social.

Os benefícios da correta apresentação das demonstrações contábeis

As demonstrações contábeis, além de serem uma obrigação prevista na lei, pode trazer uma série de benefícios gerenciais e administrativos para uma empresa.

Primeiramente, a Demonstração de Resultados é utilizada como base no preenchimento EFD-ECF, facilitando o procedimento e evitando erros.

O Balanço Patrimonial, por ser uma demonstração que indica os valores constantes em cada conta que a empresa movimentou, pode servir como fonte de análise do crescimento do empreendimento.

Por meio dele, são extraídos os indicadores financeiros de liquidez e endividamento, por exemplo.

As demais demonstrações são importantes para analisar o movimento ocorrido em contas específicas, como é o caso da DFC — em que são registradas as mutações da conta caixa de uma empresa — e da DMPL — que mostra os lucros e os prejuízos acumulados que interferem na conta do patrimônio líquido.

Portanto, a importância desses documentos transcendem a simples exigência ou determinação legal. Eles servem como fonte de informação confiável dos resultados obtidos em um exercício social ou ano de atividade.

Gostou deste post sobre a demonstração contábil de uma empresa? Gostaria de receber dicas de gestão, contabilidade, questões tributárias e trabalhistas diretamente no seu e-mail? Então, assine a nossa newsletter para não perder nenhum conteúdo.

Kyvya Revoredo

Kyvya Revoredo é contadora, pós-graduada em comércio exterior pela UES. Gerencia a Contábil Rio, empresa com tradição no mercado de contabilidade desde 1955, executando um trabalho estratégico e utilizando as melhores práticas de redução de custos para as empresas.

Demonstração contábil: como apresentar o seu resultado anual
Rate this post