A abertura de empresas é um processo que exige certos trâmites em órgãos de registro, como cartórios, Junta Comercial e prefeitura, e demais conhecimentos sobre tributação, gestão e administração de um negócio.

Antes de dar entrada no processo de constituição, é necessário reunir uma série de informações que vão desde simples dados do negócio até questões mais complexas que envolvem a gestão do futuro empreendimento.

Neste artigo, mostramos as principais indicações que você precisa observar para abrir um novo negócio. Acompanhe!

Por que é importante abrir uma empresa de forma legal?

Legalizar uma empresa é o primeiro passo para que um empreendimento tenha sucesso. Isso é necessário para que o negócio seja reconhecido, principalmente, pelo mercado e pela sociedade como um todo.

As empresas que atuam na informalidade têm dificuldade para adquirir produtos com custo competitivo com grandes fornecedores e não conseguem vender para determinadas clientes que exigem a apresentação do documento fiscal.

Além disso, a formalização é uma exigência legal. Como a pessoa natural, que a partir do seu nascimento com vida é portadora de documentos (certidão de nascimento, identidade, CPF), direitos e deveres, uma empresa para ser reconhecida e possuir direitos e deveres precisa estar registrada em um órgão de registro empresarial e ter seus documentos (CNPJ, NIRE, Alvará, inscrição estadual e municipal).

A falta de registro pode acarretar problemas sérios com órgãos fiscalizadores e tributantes, portanto, se você quer montar um empreendimento de sucesso, é necessário proceder ao registro de acordo com o que manda a lei aplicável ao seu tipo de negócio.

Qual é o capital de giro necessário para abrir uma empresa?

O início de uma empresa é uma fase muito delicada. Assim como um recém-nascido, ela precisa de cuidados especiais e atenção constante de seus responsáveis. O capital de giro, ou a falta dele, é fator número 1 que faz tantas empresas fecharem as portas no início de suas operações.

Portanto, esse montante deve ser definido antes mesmo de a empresa ser constituída. Ele deve ser suficiente para montar a empresa e para cobrir todas as despesas necessárias para a continuidade de suas operações por um período de tempo.

Isso significa que, se o seu negócio consome cerca de R$ 10.000,00 por mês para se manter, o ideal é que você tenha esse valor disponível a cada mês por pelo menos um ano. Nesse tempo, sua empresa vai conquistando espaço no mercado, até chegar ao ponto de conseguir arcar com todas as despesas e gerar lucro.

O que fazer para evitar prejuízos na fase inicial?

Como mencionamos, a fase inicial de um negócio é bastante delicada e muitas empresas costumam fechar as portas por falhas durante essa etapa do negócio. Para evitar esse tipo de problema, é fundamental que você tenha um planejamento financeiro bem detalhado.

Além disso, é preciso contar com o apoio de um profissional da área contábil para avaliar os custos e apurar corretamente os impostos para evitar possíveis prejuízos nessa fase do empreendimento.

Como funciona o registro de uma empresa?

O registro de uma empresa varia de acordo com o tipo de negócio que você deseja constituir. Por exemplo, se for um Microempreendedor Individual (MEI), a maior parte do processo é realizada pela internet.

Você precisará decidir com seu contador a natureza jurídica da empresa, as principais são as Sociedades Limitadas (LTDA), Empresa Individual e Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (EIRELI), se  seus atos constitutivos serão registrados pelo cartório de registro civil das pessoas jurídicas da sua cidade ou pela Junta Comercial do estado em que se pretende atuar.

O processo dentro desse último órgão passou por algumas alterações ao longo dos anos. Antigamente, se demorava meses para abrir uma empresa. Além disso, era necessário proceder ao registro tanto na Receita Federal como na Estadual após o andamento na Junta Comercial.

Hoje em dia, muitos estados e cidades brasileiras já contam com um procedimento integrado aos demais órgãos de registro, e todo o processo ocorre com mais agilidade, possibilitando que a empresa seja aberta de forma mais rápida.

Independentemente do tipo de negócio que você vai constituir, é indispensável a presença do contador. Afinal, ele é o profissional que sabe quais procedimentos precisam ser adotados para que o seu processo de constituição não seja negado pelo órgão de registro e demore para ser finalizado.

Como a contabilidade pode ajudar no processo de abertura de empresas?

Já mencionamos o contador como peça fundamental no processo de abertura de empresas e liberação das mais diversas licenças necessárias para o funcionamento do negócio, além do registro do contrato social, CNPJ, inscrição estadual, municipal e Alvará:

– Licença do Corpo de Bombeiro;

– Certificado e caderneta da Vigilância Sanitária;

– Aceitação das instalações comerciais;

– Registro Conselho Profissional;

– Certificação do Equipamento de RAIO-X;

– Licença ambiental;

– Legalização de letreiros, mesas e outros.

Agora mostraremos qual papel esse profissional pode desempenhar.

A contabilidade acompanha todos os passos dados em direção à constituição do negócio. Ela ajuda no processo de elaboração do contrato social (no caso de EIRELI ou empresário individual), ou ato constitutivo  disponibilização de local para reuniões, treinamento de pessoal administrativo, viabilidade financeira, entre outros.

Mas a participação da contabilidade não finaliza na parte de registro da sua empresa, esse é somente o marco inicial de uma relação longa e muito próxima.

O contador tem um papel fundamental no crescimento do negócio, sendo o responsável pela emissão de tributos, cumprimento de obrigações e, principalmente, fornecimento de informações precisas que auxiliam na tomada de decisões.

Além disso, você pode confiar no contador para os seguintes procedimentos:

  • escolha do melhor regime de tributação;

  • elaboração de folha de pagamento e impostos incidentes;

  • enquadramento sindical da empresa e de seus funcionários;

  • aquisição do certificado digital;

  • fornecimento do programa gratuito de emissão de notas fiscais;

  • consultoria e configuração de sistema para emissão de notas fiscais;

  • recrutamento e seleção;

  • treinamento do pessoal administrativo;

  • terceirização do departamento financeiro com consultoria financeira e gerencial empresarial;

  • implantação e consultoria de fluxo de caixa projetado;

  • consultoria de custos e formação de preço de venda;

  • orientação e emissão de documentos e certidões de regularidade fiscal para participação em licitações.

Com todas essas funções somadas à assessoria no processo de abertura de empresas, você terá um serviço completo que servirá em praticamente todos os momentos do seu negócio, possibilitando que você tenha mais tempo para se dedicar a outras áreas do novo empreendimento.

Gostou dessas dicas? Que tal conhecer mais sobre esse serviço? Então, entre em contato conosco. Temos uma equipe especializada e pronta para atender todas as suas necessidades.

Leia também:

Kyvya Revoredo
Kyvya Revoredo é contadora, pós-graduada em comércio exterior pela UES. Gerencia a Contábil Rio, empresa com tradição no mercado de contabilidade desde 1955, executando um trabalho estratégico e utilizando as melhores práticas de redução de custos para as empresas.
O que você precisa saber sobre a abertura de empresas
Rate this post