Se gerir um empreendimento já é um grande desafio, liderar empresas familiares requer muito mais destreza. Além de toda complexidade que envolve o mundo corporativo, quando a companhia é de sucessão familiar, é necessário ter a sabedoria para lidar com situações pessoais e profissionais, sem que estas afetem as decisões.

Segundo uma pesquisa feita pela PwC, apenas 12% das empresas familiares chegam à terceira geração e somente 1% delas alcançam a quinta geração da família. Os dados da pesquisa são de esfera global, mas deve ser levado em conta pelos brasileiros, pois 90% das empresas nacionais privadas ainda são de herança familiar.

Assim, para ajudar gestores que estão nessa situação, apresentaremos neste artigo as melhores práticas utilizadas por empresas familiares de sucesso. Está curioso para saber quais são? Continue a leitura e descubra!

Entender os valores e a cultura familiar dentro do negócio

Toda cultura tem seus valores relacionados a objetos ou ações que fazem parte do cotidiano, como dinheiro, fracasso, vitória, poder, religião, fama, entre outros. Para que uma empresa familiar funcione de forma correta e com solidez, é essencial conhecer tais valores e aplicar na rotina da empresa.

Em outras palavras, jamais dará certo se no convívio social a família acreditar em conquistas por mérito e aplicar um conceito diferente na empresa. Em algum momento ocorrerão divergências e os valores distintos entrarão em atrito.

Por isso, antes de tomar direcionamentos importantes dentro da organização, é essencial buscar entendimento sobre quais valores tornaram a família e a empresa forte até aquele momento e, até que ponto, a estrutura familiar não será impedimento para determinados projetos. Muitas empresas simplesmente ruirão por ignorar o peso da cultura.

Possuir um processo de sucessão de liderança bem-estruturado

A sucessão pode ser um processo complexo e demorado. Por isso, é necessário um planejamento prévio e detalhado. Se a sucessão for para ocupar o lugar do fundador da empresa, então, o processo deve ser ainda mais trabalhado.

É de vital importância que se busque um profissional com aderência aos valores, missão e visão da corporação. E, ainda que muitos acreditem no contrário, o sucessor não precisa ser necessariamente da família. Nem sempre um membro próximo está preparado ou possui as características que a empresa que carrega o seu nome busca.

Se ainda assim essa for a escolha é de suma importância capacitar o escolhido, inclusive com cursos no exterior e um job rotation (atuar em diversas áreas), para que ele saiba como funciona os diferentes setores e níveis da empresa e amplie a sua visão do negócio.

Para diminuir consideravelmente a taxa de erro em um processo de sucessão, é interessante seguir três pontos:

  • identificar previamente os sucessores (que podem ser gestores ou membros da família);

  • determinar funções ativas e inativas para todos os familiares;

  • construir um suporte extra da família para auxiliar o sucessor no futuro.

Definir o que é necessário em um líder

Para que a empresa continue o legado da família construído pelo fundador, é necessário definir como os próximos líderes devem agir à frente da organização. Por isso, um projeto prévio para o processo de sucessão é tão necessário.

Porém, é importante entender que um novo líder não precisa e nem deve ser a cópia do seu predecessor. Ainda que seja uma empresa familiar e certos valores precisem ser seguidos, o mundo corporativo exige que todo novo líder tenha uma visão mais ampla do mercado e uma expertise que o seu antecessor não possuía.

Dessa forma, o indicado é que as diretrizes para o novo líder sejam baseadas na cultura e valores estabelecidas pelo fundador da empresa, mas com uma visão mais atualizada de mercado. É importante que o novo líder saiba trabalhar com a solidez que demanda um empreendimento familiar, aliando os conhecimentos tecnológicos, que são mandatórios em uma economia global.

Assegurar um processo de governança claramente definido

Por meio de uma governança forte, que se mostre transparente nas suas definições de limites e direitos, a diretoria consegue passar confiança para executivos, investidores e parceiros, trazendo assim uma sustentabilidade sólida e próspera para a empresa.

Muitas vezes, por se tratar de um empreendimento familiar, alguns gestores ou sócios podem acreditar que pessoas possuem privilégios por pertencerem à família ou serem amigos próximos. Esse tipo de visão é prejudicial para o andamento da empresa.

O líder, ao assumir o cargo, deve ser claro e direto nas suas definições. Não pode haver nenhum ruído de comunicação ou dúvidas. Veja abaixo alguns passos importantes para garantir uma gestão clara e objetiva:

  • estabelecer por escrito seu processo de governança e tomada de decisões;

  • ser transparente na nomeação de gestores e líderes de equipe;

  • definir os melhores mecanismos para a comunicação;

  • certificar-se de que todos os funcionários conheçam os valores da empresa;

  • garantir que todos os colaboradores tenham supervisão e sejam alocados em atividades que aproveitem ao máximo as suas habilidades.

Gerir cuidadosamente o processo de integração

Para que uma empresa familiar seja forte é preciso uma estrutura de apoio sólida. O líder deve contar com pessoas melhores do que ele, sendo a sua principal função conseguir gerar sinergia entre cada área. Dessa forma é possível gerir de forma estratégica os processos e obter os melhores resultados.

Além disso, uma empresa familiar, mais do que outras corporações, deve ser inclusiva culturalmente, consciente dos seus direcionamentos e integrativa com seus colaboradores internos, consumidores e sociedade como um todo. Esse ambiente acolhedor pode ser usado como um diferencial competitivo, facilitando a retenção de talentos e fidelização de clientes.

Nesse artigo você conferiu as cinco melhores práticas adotadas por empresas familiares de sucesso. Analise quais características a sua possui e veja o que é preciso para melhorar. Caso identifique que algum item ainda não é praticado, reúna-se com os seus líderes, estabeleça um plano de ação e faça as mudanças necessárias. Dessa forma você conseguirá apresentar uma gestão profissional, imparcial e com a “cara” da família.

Tem mais práticas que você identifica em empresas familiares de sucesso? Enriqueça ainda mais o nosso conteúdo deixando abaixo o seu comentário.

Confira também nosso guia completo:

Kyvya Revoredo
Kyvya Revoredo é contadora, pós-graduada em comércio exterior pela UES. Gerencia a Contábil Rio, empresa com tradição no mercado de contabilidade desde 1955, executando um trabalho estratégico e utilizando as melhores práticas de redução de custos para as empresas.
Saiba quais são as melhores práticas em empresas familiares de sucesso
5 (100%) 1 vote